102

Distopia Testicular (Testículo não-descido)

Testículo não-descido (TND) é a uma condição que resulta da falha na descida dos testículos ao escroto por fatores anatômicos, hormonais e genéticos.

Um terço dos prematuros e aproximadamente 2-8% dos nascidos por gestação completa do sexo masculino são acometidos, sendo a forma unilateral quatro vezes mais comum do que a forma bilateral. Dentre o total de casos da doença, em 80% deles os testículos afetados são palpáveis e em 20% deles não são palpáveis.

A correção dessa condição é de forma cirúrgica, chamada de orquidopexia. O objetivo da orquidopexia é trazer o testículo de maneira segura e definitiva para dentro do saco escrotal, otimizando a espermatogênese e, possivelmente, reduzindo o risco de neoplasias testiculares.

O sucesso da cirurgia é definido como um testículo em posição escrotal satisfatória, sem atrofia. Acredita-se que a indicação precisa e sem atraso da orquidopexia tem efeito benéfico sobre o desenvolvimento das células germinativas do homem, pois é no primeiro ano de vida que as células neonatais se transformam em espermatogônias, as quais são progenitoras dos futuros espermatozoides.

Nos meninos com TND, esse processo está prejudicado, sendo que o número de células germinativas começa a se alterar a partir dos 18 meses de idade.

Sendo assim, recomenda-se que a idade para orquidopexia seja menor do que 12 meses de idade.

O Consenso Nórdico recomenda a cirurgia entre 6 e 12 meses de idade e não antes, pela possibilidade de decida espontânea do testículo antes desse período.